Days of Wine and Roses - Frágil



Clara Ferreira Alves
Al Berto


MEC
Rui Reininho António Variações





Íamos lá pelos copos, pela musica, pelos amigos.
Íamos porque sim.
O Frágil era um vício. Punha-se a conversa em dia.
O Frágil era noite da má língua.
A porteira era a famosa Margarida, a Gorda,
ou a Anamar
Encontravam-se escritores, poetas, actores, actrizes, gente estranha, muitos estrangeiros, estilistas, 
gente da moda, modelos,
gente. 
Encontrava-se Gente.

O Frágil já não é no Bairro Alto, passou a ser mais perto da água.
Passou a chamar-se  Lux/Frágil, mas já nada é o que era.
Perdeu-se o Glamour.

remember?
the days of wine and roses.
Sim!

Esta musica que aqui vos deixo, não me lembro de a 
ter ouvido lá. Conversava-se muito. 
Diziam-se carradas de disparates, contava-se o escandaloso pormenor daquele que foi apanhado no tal sítio com a tal senhora e espanto dos espantos, fotografado em vídeo.

Vídeo.
Eram os anos 80/90.
Computadores ná. Conversava-se. Risotas.
Não havia geringonça de computador ou Facebook que nos impedisse de conviver.

Hoje andam à procura de Pokémon, uma coisa surreal. Apanha. Apanha. Corre. Corre. Pode ser que encontres.
Vive pá! deixa lá essa merda pá.

o que são esses bonecos.
és marado ou quê?
esses bonecos, ganhas alguma coisa com isso?
não corres a cidade de ponta a ponta para apanhar um boneco. 
explica lá isso que eu não entendo.
epá vai-te lixar.
quando começas a crescer?

eu não queria escrever isto tudo.  tive saudades dos tempos em que a vida se vivia. não era fingida. tive tantas saudades que até era capaz de jurar que alguém derramou uma furtiva lágrima.



Remember the Days of Wine and Roses
Fotos de Bar Discoteca Frágil anos 80/90