Save me from this sadness it's coming


escrevo-te hoje sem pontos vírgulas espaços ou pausas uma carta de amor continua sendo uma carta de amor mesmo que não mereças mesmo que não consiga perdoar-te ainda.

houve uma traição e essa traição não me apetece nem falar tu sabes tal como eu que não havia perdão para essa trágica traição ainda bem que descobres sem ser por mim e olhas-me nos olhos como se eu fosse o imbecil das novelas aquele rapazote que te empurra o carro no aeroporto seria bom se a minha vida tivesse parado aí - dizes -. não parou nem sequer dei pela transformação e a amargura que me inunda ainda ao saber que sabes enfim que te traí muitas tantas vezes que o mal deixou de ser mal para ser normal habitual comum banal tens o poder de me escutares sem eu te ouvir ou vice versa ou talvez não seja mais do que a breve ilusão de que me escutas em alta definição no meio de rendas pérolas e pó de arroz pele branca e a tua boca ainda na minha e eu a foder-te com a língua com tal fúria e abandono que me pedes para parar assim em linha reta em caminho descendente onde tu vens e eu abdico de ser eu a ver-te ali ao lado daquele daquela tu de vestido preto com rosas vermelhas ou tu de vestido branco transparente com qualquer coisa brilhando em cima.

vais lá e vejo-te sei que estás aqui mesmo ao pé sussurras-me estás bem acompanhado enquanto segredas aos que te rodeiam estão pelo menos oito que não são de cá e eu acredito sempre acreditei nos teus poderes é disso que se trata os teus poderes e de tudo o que sabes dos caminhos e respostas que escapam à mente dos normais daqueles que como eu se julgam melhores ou piores conforme os dias e lá está a tal música no ar e dizes tu és um traidor tu és um traidor repetes e repetes e repetes um canalha dizes abano a cabeça digo não mas tu sabes acreditas que sabes que sim sim fui eu sim fui eu e escreves e colas em cartazes feitos de colagens de imagens onde o meu nome ficaria para sempre se ainda ontem num ataque de indiferença total não tivesses agarrado em tudo e deitado para o caixote do lixo amor recordação desejo paixão eu e tu forever we are one.

já não me amas que eu sei boa sorte dizes fica bem deves esperar que eu te perdoe não tenho de perdoar tu só vais ter de esquecer e isso é muito mais complicado.
muito mais complicado aqueles que estavam ao meu lado que pressentia e não via não me irão deixar esquecer perdoar não nós não lhe vamos fazer mal vamos apenas dar-lhe uma lição ai não que não façam isso dizes eles não se compadecem fartaram-se de mim das porcarias que fiz de te haver mentido de te haver exposto a uma humilhação terrível e tu já não me amas tu já não me amas eu sei eu sinto ainda penso talvez um dia vagamente sabendo que não como nos filmes o herói morre no fim só que a protagonista não chora e isso deixa-me doido saber que de ontem para hoje tudo se acabou tão fácil que nem acredito de um dia para o outro como consegues apagar tudo de repente eu sei desligas um qualquer botão fácil fácil um estalar de dedos e fui-me da tua vida.
ainda te ouvi dizer morreste para mim muito complicado quem morre morre e é definitivo. não tem volta.
digo-te:


Save me
from this sadness it's coming
or take me
before my smile it's dissolving
wake me
from this nightmare i'm entering

don't let me fall in the corners of my own




Comentários